Tipos de Exames

infraestrutura_centros.jpg


Confira abaixo a lista dos principais exames realizados pelo Hospital Alemão Oswaldo Cruz. Caso não localize o exame que deseja, consulte a Central de Atendimento: (11) 3549- 1000.

Centro de Check-up

Audiometria

Realizada por fonoaudióloga, é a avaliação da função auditiva através de Audiômetro Computadorizado em cabine acústica, com o objetivo de detectar alterações auditivas.

Impedanciometria Acústica

Teste auditivo que tem como finalidade detectar lesões do ouvido externo, médio e interno, por meio da avaliação da resistência que as estruturas do ouvido oferecem à transmissão dos sons.

Prova de Função Pulmonar (Espirometria)

Mede a capacidade vital pulmonar, volume inspiratório, expiratório e fluxopulmonar por meio de um sistema computadorizado.

Resposta Geral da Adaptação ao Estresse

Tem como objetivo avaliar as respostas do organismo, isto é, as reações físicas e psicológicas, diante das pressões internas e externas do dia a dia, bem como orientar em relação ao desenvolvimento de estratégias de controle e uso positivo do estresse.

Avaliação da Composição Corporal (Body Composition)

É a determinação da quantidade total de água corporal, massa magra (ossos, músculos, órgãos) e compartimento de gordura, por meio da bioimpedância elétrica. O sistema identifica a necessidade de perda, ganho ou manutenção de peso, levando em consideração o biotipo do indivíduo, sexo e faixa etária.

Saiba mais

Centro de Diagnóstico por Imagem

  • Artroressonância
  • Ecocardiograma
  • Eletrocardiograma - ECG simples e de alta Resolução
  • Litotripsia Extracorpórea
  • Medicina Nuclear
  • Raio-X 
  • Raio-X contrastado
  • Ressonância Magnética
  • Tomografia Computadorizada
  • Ultrassonografia

Centro de Endoscopia

Endoscopia Digestiva Alta

1. O que é?

É um procedimento que permite examinar o esôfago, o estômago e o duodeno através da introdução por via oral de um aparelho flexível apropriado às dimensões digestivas que possui vários recursos, entre eles uma microcâmera com sistema de fibras óticas que iluminam o interior dos órgãos digestivos e proporcionam uma visão completa com alta precisão. O procedimento é realizado para remover lesões como pólipos, tratamento de úlceras hemorrágicas, varizes de esôfago e outros procedimentos terapêuticos, além de diagnosticar doenças do aparelho digestivo alto e obter biópsias (retirada de amostras de tecidos para análise).

2. Como ela é feita?

O exame é realizado com o paciente em posição lateral. Durante o procedimento são administrados medicamentos apropriados para sedação através de uma injeção intravenosa para proporcionar conforto e tranquilidade ao paciente. Devido à administração dos sedativos é obrigatória à presença de acompanhante que seja maior de 18 anos, com respectivo documento de identidade. Pode-se utilizar também a aplicação do anestésico local na forma de spray na garganta, cujo efeito persiste por aproximadamente 30 minutos.

É necessário jejum de 8h para alimentos sólidos, leites e derivados (como iogurte e queijos em geral) exceções apenas alteradas pela equipe médica. Caso seu exame seja combinado com colonoscopia, seguir as orientações de preparo para colonoscopia.

Quando houver necessidade de biópsia uma delicada pinça é introduzida através do endoscópio, a fim de retirar pequenos fragmentos do tecido e enviá-los para análise do patologista. Biópsias podem ser realizadas por várias razões, como por exemplo, por inflamações, pólipos e outras lesões, não significando, necessariamente suspeita de câncer.

Quando necessário, o médico responsável pelo exame fará orientação e a suspensão de medicação de uso diário.
Esse procedimento é realizado no Centro de Endoscopia e eventualmente no Centro Cirúrgico/Day Clinic, locais que possuem infraestrutura material e de recursos humanos de renomada qualidade. Após a realização do exame, o paciente permanece em observação em local apropriado, sob cuidados de profissionais de saúde. Após recuperação satisfatória, conforme padrões institucionais estabelecidos, recebe alta.

3. Quais são os principais riscos?

A Endoscopia Digestiva Alta é um procedimento médico que normalmente não promove complicações, porém a literatura mundial relata um baixo risco delas, tais como:

• Flebite (inflamação no local da aplicação da medicação);
• Eventuais complicações cardiopulmonares (broncoaspiração, arritmias em até 0,5 % dos casos);
• De 0,03% à 2,2% dos casos poderão ocorrer perfurações, em casos de esclerose poderá chegar a 5%, requerendo internação e eventual tratamento cirúrgico;
• Em menos de 1% dos casos poderão ocorrer hemorragias nos procedimentos diagnósticos e entre 1 - 6% nos terapêuticos (dilatação, gastrostomias, ligaduras elásticas, polipectomias) requerendo internação e eventual tratamento cirúrgico se necessário e transfusão sanguínea;
Sinais de alerta a serem observados:
• Dor abdominal
• Febre
• Vômitos
• Presença de estrias de sangue nas fezes e/ou fezes escurecidas

Os sangramentos tardios podem manifestar-se com dor local, e sinais de baixa pressão arterial (como desmaios e tonturas ao levantar).

4. Cuidados após o procedimento nas primeiras 12h

a. Não há restrição alimentar após o exame, com exceção de exames especiais, nos quais o médico endoscopista informará ao paciente.
b. Não ingerir bebidas alcoólicas.
c. Não realizar atividade física que exijam grandes esforços.
d. Não dirigir após o exame.
e. Não trabalhar. Se necessário solicitar atestado médico.
f. Não é comum a ocorrência de dor, que necessite de tratamento. Caso ocorra dor podem ser usados analgésicos comuns. Recomenda-se consultar ao médico assistente quanto à composição do analgésico, para evitar aqueles fármacos que contenham ácido acetilsalicílico (aspirina), ou qualquer um que aumente o sangramento.
g. O uso de anticoagulantes ou problemas com a coagulação deverá ser analisados caso a caso, entre o médico endoscopista e o médico do paciente.

5. Se houver qualquer suspeita de complicação, dor ou continuidade dos sintomas ligue para o Centro de Endoscopia ou procure o Pronto Atendimento do Hospital e ligue para o seu médico assistente.

6. Como retirar o resultado?

O resultado do exame será entregue pela Central de Laudos, recepção do Bloco A, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Rua 13 de Maio nº 1815 – Paraíso - São Paulo, de segunda a sexta-feira das 08 às 18h. Caso exame realizado na Unidade Campo Belo retirar em Avenida Vereador José Diniz nº3457- Campo Belo- Sobre Loja- São Paulo, de segunda a sexta-feira das 08h às 16h.

Dúvidas sobre o preparo na Unidade Paraíso, ligar no telefone: 354914-28 de 2ª a 6º feira das 06h às 20h ou aos sábados das 6h às 18h. Caso o exame seja realizado na Unidade Campo Belo, ligar no telefone 2344-2700 das 8h às 16h.

Colonoscopia

1. O que é?

É um procedimento que permite a visão do cólon (intestino grosso) e reto (parte terminal do intestino grosso) através de um aparelho apropriado às dimensões do intestino que possui vários recursos, entre eles, uma microcâmera com recursos de ampliação de imagem, o que resulta numa alta precisão de diagnóstico. O procedimento é realizado para diagnosticar doenças, remover pólipos (pequenos tumores malignos ou benignos) e obter biópsias (retirada de amostras de tecidos para análise).

1. Como é feito?

O exame é realizado com paciente em posição lateral e as pernas dobradas. Durante o procedimento são administrados sedativos e analgésicos para proporcionar o conforto e a tranquilidade do paciente. Para a realização do exame, devido à administração dos sedativos é obrigatória à presença de acompanhante que seja maior de 18 anos, com respectivo documento de identidade. O preparo para o exame é realizado com uma dieta leve/líquida na véspera, e a ingestão de laxativos horas antes do exame, com objetivo de eliminar todo o conteúdo de fezes do intestino grosso possibilitando a visualização da mucosa. O preparo pode ser realizado em casa ou no hospital e, normalmente, é bem tolerado. Em algumas situações o processo inicia-se a domicílio e é concluído no hospital. A escolha depende das condições clínicas do paciente, da idade e das doenças associadas.

Esse preparo é essencial para a realização do exame. Para isso recomenda-se seguir as orientações cautelosa e tranquilamente. É necessário jejum de 8h para alimentos sólidos, leites e derivados (como iogurte e queijos em geral) e jejum de 2h para líquidos claros sem resíduo (conforme orientação de Preparo que lhe foi entregue previamente).

Esse procedimento é realizado no Centro de Endoscopia e eventualmente no Centro Cirúrgico/ Day Clinic, locais que possuem infraestrutura material e de recursos humanos de renomada qualidade. Quando houver necessidade de biópsia uma delicada pinça é passada através do colonoscópio, a fim de retirar alguns pequenos fragmentos do tecido e enviá-los para análise de um patologista. Biópsias podem ser realizadas por várias razões, como por exemplo, por inflamações e retiradas de pólipos. Não significa, necessariamente suspeita de câncer. Nem todos os pólipos, em especial os muito pequenos, são detectáveis. A ressecção de pólipos não necessariamente garante a ausência futura do câncer ou câncer curável. Após a realização do exame, o paciente permanece em observação em local apropriado, sob cuidados de profissionais de saúde. Após recuperação satisfatória, conforme padrões institucionais estabelecidos, recebe alta.

2. Quais são os principais riscos?

Os principais riscos são:

• Flebite (inflamação no local da aplicação de medicamento);
• Depressão respiratória, broncoaspiração;
• Náuseas e vômitos;
• Desconforto e dor abdominal após o exame;
• Em até 0,1% dos casos poderão ocorrer perfurações, requerendo internação e eventual tratamento cirúrgico;
• Em até 0,6% dos casos poderão ocorrer hemorragias- requerendo internação e eventual tratamento cirúrgico se necessário e transfusão sanguínea;
• Em até 4% dos casos pode ocorrer bacteremia* transitória. Infecções prolongadas são extremamente raras (*Infecção generalizada com riscos de tratamento prolongado).

Sinais de alerta a serem observados:

• Temperatura corporal maior que 38 ºC
• Dor abdominal intensa
• Calafrios
• Sangramento nas fezes que cause preocupação pela sua intensidade.

Os sangramentos em grande volume podem manifestar-se com cólica diarréia com sangue, sinais de baixa pressão arterial (como desmaios, escurecimento da visão, tonturas ao levantar). Os sangramentos tardios também podem ocorrer em até 15 dias após a realização de polipectomia apresentando-se nas fezes, que na maioria das vezes é autolimitado.

3. Cuidados após o procedimento nas primeiras 12h

a. Dieta leve (vide orientação de preparo)
b. Não ingerir bebidas alcoólicas.
c. Não realizar atividade física, nem grandes esforços.
d. Não dirigir ou trabalhar no dia do exame. Se necessário solicitar atestado médico.
e. Não é comum a ocorrência de dor significativa, que necessite de tratamento. Caso ocorra dor podem ser usados analgésicos comuns. Recomenda-se consultar ao médico assistente quanto à composição do analgésico, para evitar aqueles fármacos que contenham ácido acetilsalicílico/aspirina, ou qualquer um que aumente o sangramento.
f. O uso de anticoagulantes deverá ser analisado caso a caso, entre o médico endoscopista e o médico do paciente.

4. Se houver qualquer suspeita de complicação, dor ou continuidade dos sintomas, ligue para o Centro de Endoscopia ou procure o Pronto Atendimento do Hospital, e entre em contato com o médico que realizou o procedimento e ligue para o seu médico.

5. Como retirar o resultado?

O resultado do exame será entregue pela Central de Laudos, recepção do Bloco A, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Rua 13 de Maio nº 1815 – Paraíso - São Paulo, de segunda a sexta-feira das 08 às 18h. Caso exame realizado na Unidade Campo Belo retirar em Avenida Vereador José Diniz nº3457- Campo Belo- Sobre Loja- São Paulo, de segunda a sexta-feira das 08h às 16h.

Dúvidas sobre o preparo na Unidade Paraíso, ligar no telefone: 354914-28 de 2ª a 6º feira das 06h às 20h ou aos sábados das 6h às 18h. Caso o exame seja realizado na Unidade Campo Belo, ligar no telefone 2344-2700 das 8h às 16h.

Broncoscopia

O procedimento é realizado para examinar as vias aéreas, com a introdução via nasal ou por traqueostomia de um aparelho flexível. Este aparelho possui um sistema de fibras ópticas e uma microcâmera que ilumina o interior das vias respiratórias e proporciona a visão completa.

O exame auxilia no diagnóstico de doenças do aparelho respiratório por meio de biópsias, coleta de lavado (coleta de material do pulmão para análise), no acompanhamento do tratamento e também na remoção de lesões.

Para o preparo, será necessário jejum absoluto de 8h, até mesmo de líquidos. O exame é realizado com o paciente deitado em maca para que não apresente desconforto durante o procedimento, como náuseas e engasgos. Normalmente é realizada a sedação por meio de injeção intravenosa de medicamentos apropriados. Independente de utilização de sedativos endovenosos é obrigatória a presença de acompanhante para a realização do exame. Utiliza-se também a aplicação dos anestésicos nas formas de spray, geleia e líquido, cujo efeito persiste por aproximadamente 45 a 60 minutos após o exame, período no qual deve-se evitar ingestão de alimentos ou líquidos, para prevenção de engasgos.

Quando há necessidade de biópsia, uma pinça é passada através do broncoscópio, para retirar alguns fragmentos do tecido. Se necessário, também será realizada coleta de secreção pulmonar, que serão enviados para análise de um patologista e/ou laboratório de análises clínicas. As biópsias podem ser realizadas por várias razões, como inflamações, retiradas de pólipos, não significando necessariamente suspeita de câncer.

Quando houver biópsia, medicações como Conadem, Marevam, Plavix-Clopidogel (anticoagulantes) devem ser suspensas de 7 a 10 dias antes do procedimento e o médico deverá ser consultado antes da suspensão.

Gastrostomia Endoscópica

O exame consiste na colocação de um tubo plástico delicado (sonda) no estômago através da parede abdominal para administração de dieta líquida preparada especialmente e de medicamentos. Para realização, é utilizado o endoscópio flexível que possui um sistema de fibras óticas e microcâmera, que proporciona visão completa do esôfago, estômago e duodeno após introdução por via oral.
Saiba mais​

Centro de Otoneurologia

  • Audiometria tonal
  • Audiometria vocal
  • Medidas de imitância aguda
  • Pesquisa do reflexo do estapédio
  • Audiometria de altas frequências
  • Otoemissões acústicas
  • Eletrococleografia
  • Respostas auditivas de tronco encefálico (ABR ou BERA)
  • Respostas auditivas de estado estável (Steadystate responses)

Saiba Mais

Instituto da Mulher

Exames Di​agnósticos

Um moderno parque tecnológico completo e funcional, com destaque para os equipamentos de ultrassonografia dedicada, mamógrafo digital e todos os dispositivos de biópsia, incluindo equipamento para biópsia a vácuo (mamotomia).

Exames de Imagem

• Ultrassonografia de tireoide
• Ultrassonografia de mamas
 • Ultrassonografia abdominal
• Ultrassonografia pélvica
• Ultrassonografia transvaginal
• Mamografia digital



Procedimentos Diagnósticos Minimamente Invasivos de Mama

• Mamotomia orientada por USG e Mamografia
• Core Biopsia (biópsia com agulha grossa)
• PAAF (punção com agulha fina)​​

Instituto da Próstata e Doenças Urinárias

Urodinâmica ou Estudo Urodinâmico

A Urodinâmica ou Estudo Urodinâmico é um valioso método complementar de diagnóstico que fornece avaliação funcional dos aspectos fisiológicos e patológicos envolvidos no armazenamento e esvaziamento da urina pelo trato urinário inferior.

Investiga as causas de disfunção miccional (incontinência urinária e esvaziamento incompleto da bexiga) e é indicado aos pacientes com incontinência urinária, obstrução infra-vesical, pacientes com bexiga neurogênica, crianças com distúrbios, falhas no tratamento de incontinência, tratamentos cirúrgicos e pós-cirúrgicos, além de incontinência pós-parto.

  • - Modalidades
  • • Urofluxometria
  • • Cistometria
  • • Perfil pressórico uretral
  • • Estudos miccionais com canais múltiplos
  • • Eletromiografia
  • • Estudo vídeo urodinâmico
  • - Quais casos devem ser submetidos à avaliação urodinâmica?
  • • Incontinência urinária
  • • Pacientes com obstrução infra-vesical
  • • Pacientes com bexiga neurogênica
  • • Crianças com complexos distúrbios miccionais e de continência
  • • Falha do tratamento da incontinência urinária
  • • Em tratamentos cirúrgicos, consiste em poderosa arma diagnóstica

- Contraindicações
Alguns casos, como infecção do trato urinário, estreitamento uretral e pacientes com plaquetopenia ou distúrbios sérios de coagulação, devem ser estudados com cautela antes da realização do estudo, podendo ser opção do médico o adiamento do mesmo.

- Riscos relacionados aos exames
O estudo urodinâmico é bastante seguro e são raras as complicações graves. Quando ocorrem, são referentes a sangramento do trato urinário inferior e à infecção urinária.

O sangramento pode ser uretral, prostático (em homens) ou vesical, porém costuma ocorrer em pequena quantidade e autolimitado.

A infecção urinária é pouco comum (1,5% - 5%) e geralmente leve, acometendo principalmente a bexiga. Para evitá-las, é importante a profilaxia antibiótica conforme orientação do médico solicitante ou do executor do exame.

- No dia do exame
O paciente deve chegar com 30 minutos de antecedência, vestindo roupas confortáveis e sem necessidade de jejum. Aos pacientes não portadores de incontinência urinária, recomenda-se chegar com a bexiga confortavelmente plena. Já os portadores de incontinência devem realizar o enchimento da bexiga no próprio local do exame. Se possível, recomenda-se também levar todos os exames relacionados à condição estudada, além de ser extremamente importante que a infecção urinária esteja afastada.

Quando agendar o exame, o paciente ou responsável receberá pela equipe as orientações para a realização do estudo urodinâmico. O termo de consentimento informado deve ser entregue no dia do exame, devidamente preenchido.

Biópsia de Próstata

Trata-se de um procedimento no qual são colhidos fragmentos da próstata, dirigido pelo método de ultrassonografia transrretal. Esses fragmentos são acondicionados adequadamente e encaminhados ao laboratório de anatomia patológica para análise.

  • - Quais casos devem ser submetidos à biópsia de próstata
  • • Constatação de nódulos prostáticos por meio do toque retal.
  • • Pacientes com níveis elevados de PSA (geralmente acima de 4,0 ng/mL).
  • • Pacientes com idade abaixo dos 55 anos e que tenham PSA acima de 2,5 ng/mL4.
  • • Pacientes em que a densidade é maior que 0,15 e a velocidade anual maior que 0,75 ng/ml5.

- Riscos relacionados ao exame
A biópsia é bastante segura e as complicações graves são raras. Comumente, as complicações são referentes às anestesias, sangramentos e infecções. Sangramentos pequenos na urina, fezes ou espermas podem ocorrer por alguns dias, mas cessam espontaneamente.

As infecções são raras e têm como sintomas febre, calafrios e dores no ventre. Para evitá-las, é importante o uso de antibiótico profilático, conforme orientação médica pré-estabelecida.

- No dia do exame
O paciente deve chegar com 1h de antecedência, sempre acompanhado. É importante levar todos os exames relacionados à próstata para que o médico possa avaliar antes de realizar a biópsia. Quando agendar o exame, o paciente receberá pela equipe as orientações para a realização da biópsia de próstata. O termo de consentimento informado deve ser entregue no dia do exame, devidamente preenchido.
Saiba mais

Neurofisiologia Clínica

Eletroencefalografia

São realizadas eletroencefalografia simples com fotoestímulo, estímulos especiais, em sono e vigília, e com mapeamento. O exame consiste na colocação de eletrodos na superfície do couro cabeludo, conectados a um aparelho que medirá a atividade cerebral, transformando-a em ondas gráficas que serão analisadas pelo neurofisiologista.

As principais indicações são para pacientes que necessitam de uma avaliação do funcionamento elétrico cerebral, em casos, por exemplo, da alteração do nível de consciência, desmaios, crises epilépticas, formigamentos, bem como pré-requisito para algumas atividades, como aviador e motorista. Para realização do exame não é necessário jejum, entretanto, o paciente deverá estar com a cabeça limpa e seca.

Polissonografia

Por meio deste exame é possível saber o quanto e como dormimos, ou seja, a quantidade e a qualidade do sono. A polissonografia consiste em se registrar uma noite inteira de sono. Eletrodos são aderidos ao couro cabeludo e na face, e são colocados sensores para monitorar a respiração e os batimentos cardíacos. Também é realizada a polissonografia diurna, ou teste das múltiplas latências do sono.

As principais indicações são para casos de ronco ou apneia do sono, excesso de sono, insônia e comportamentos anormais durante o sono.

Eletroneuromiografia

Tem como objetivo estudar a função dos nervos e músculos, permitindo o diagnóstico de doenças que comprometam essas estruturas. O exame é realizado por um neurologista especialista e tem basicamente duas partes: na primeira, são estudados os nervos por meio da aplicação de pequenos pulsos elétricos que permitem analisar a reposta dos nervos e músculos, já a segunda parte destina-se a avaliação da atividade muscular pela inserção de pequenos eletrodos de agulha.

Não existe preparo especial, mas o paciente deve comparecer ao exame com as regiões a serem estudadas limpas e sem a aplicação de cremes. O exame é de baixo risco e permite que o paciente retorne a suas atividades normais. Eventualmente, pode haver a formação de pequeno hematoma no local de colocação dos eletrodos de agulha.

Núcleo Diagnóstico de Cardiologia Não Invasiva

Eletrocardiograma (ECG) 12 derivações
É um exame rápido e simples, realizado em repouso e que oferece inúmeras informações a respeito das conduções elétricas intra-cardíacas, presença de arritmias, sinais indiretos de alterações estruturais no coração e sinais da presença de isquemia miocárdica (insuficiência coronariana), entre outras.

ECG-AR (ECG de alta resolução)
É um avanço sofisticado do ECG, que permite a captação de sinais para identificar prognóstico ou probabilidade da manifestação de arritmias complexas, em determinadas circunstâncias. Tem, portanto, uma indicação precisa pelo especialista.

Ecocardiograma bidimensional com Doppler colorido
O ecocardiograma transtorácico é um exame baseado na técnica de ultrassom que permite avaliar as dimensões e praticamente todas as estruturas do coração (inclusive vasculares relacionadas), além de analisar os fluxos sanguíneos que por ali circulam (valvas, shunts, cavidades atriais e ventriculares, e dos grandes vasos).
É um exame inócuo, não invasivo, sem efeito de radiação e de rápida execução.
- Eco Adulto
A equipe é especializada na avaliação ecocardiográfica de adultos e também nas diferentes técnicas ecocardiográficas especiais.
-Eco infantil
Por serem abordagens específicas, o Centro Diagnóstico de Cardiologia Não Invasiva conta com especialistas em cardiopatias congênitas e equipamentos dedicados que, em geral, são direcionados à avaliação infantil.
-Eco transesofágico
É indicado para analisar determinadas estruturas, funções ou fluxos específicos do aparato cardiovascular. Sua abordagem oferece inúmeras vantagens em termos de acurácia e sensibilidade nessas avaliações. O exame é feito com a passagem de uma sonda ultrassensível, de forma semelhante a uma endoscopia, porém com um transdutor mais fino e delicado. O procedimento utiliza um anestésico tópico na garganta e uma sedação apropriada, para que não cause desconforto ao paciente. Em casos especiais, pode ser necessária a utilização de anestesia. A estrutura hospitalar do Hospital Alemão Oswaldo Cruz incrementa o perfil de segurança nos exames especiais.
-Eco de estresse farmacológico
É indicado para avaliar o coração sob alguma forma de provocação, à semelhança da provocação com exercício, para elucidar alguma patologia (por exemplo, angina), que não é evidente no repouso. Utiliza-se dose incremental de algum fármaco provocativo, por infusão intravenosa, para "estressar" o coração. O exame pode ser interrompido no seu decorrer, por critérios médicos. O Eco de estresse farmacológico tem especial vantagem em pacientes que não podem realizar exercícios.
-Eco Doppler Tissular para a avaliação de sincronização cardíaca
É um exame parecido com o ecocardiograma transtorácico tradicional em repouso, mas utiliza uma técnica específica e recursos de equipamentos sofisticados (incluindo o Doppler tecidual) para a avaliação do sincronismo cardíaco. Essa informação tem fundamental importância para determinadas cardiopatias associadas à insuficiência cardíaca ou para avaliação em indivíduos com miocardiopatias e que possuam marca-passo ou ressincronizador cardíaco, segundo indicação do médico especialista.

Teste Ergométrico computadorizado
O teste ergométrico, ou teste de esforço, é um exame tradicional na Cardiologia. Ele envolve a análise de diversos parâmetros cardiovasculares durante a provocação gradativa de esforço físico. Serve para a avaliação ampla do funcionamento cardiovascular, quando submetido a exercício físico gradualmente crescente, em esteira rolante. São observados os sintomas, os comportamentos da frequência cardíaca, da pressão arterial e do eletrocardiograma, antes, durante e após o esforço. Sua principal vantagem é a monitorização durante uma provocação mais natural ou fisiológica (exercício) e, portanto, a análise da presença e correlação específica do sintoma e da performance global do indivíduo. Um dos principais objetivos do teste é diagnosticar e avaliar a doença arterial coronária, além de permitir avaliar a capacidade funcional cardiorrespiratória e detectar arritmias, anormalidades da pressão arterial e isquemia miocárdica, entre outras disfunções.

Teste Ergo-Espirométrico - Ergoespirometria (teste de esforço cardiopulmonar)
O teste ergoespirométrico, ou teste de esforço cardiopulmonar, associa os recursos do teste ergométrico computadorizado com a espirometria, que é uma avaliação da função pulmonar, analisando a ventilação e os gases, e a interação com o sistema cardiovascular. Como resultado, pode-se obter, além das informações tradicionais da ergometria, dados individuais a respeito da faixa de treinamento aeróbico (intervalo de frequência cardíaca) – informação que pode orientar desde atletas até indivíduos com insuficiência cardíaca avançada. Outro benefício é para quem deseja saber qual é sua faixa de maior queima calórica durante o exercício físico (útil para programas de redução de peso). Além disso, ajuda na identificação da classe funcional em indivíduos com clínica de insuficiência cardíaca, entre outras aplicações.

Teste ergométrico ou Farmacológico com cintilografia de perfusão miocárdica
O exame associa um teste de esforço físico ou de provocação com algum medicamento (estímulo farmacológico) para avaliar o coração sob estresse. Portanto, associa o teste ergométrico ou a infusão gradativa de algum fármaco – sob a supervisão de um cardiologista – a uma avaliação da perfusão (irrigação sanguínea) do músculo cardíaco (miocárdio) pela medicina nuclear, por meio da infusão de uma substância radioativa com baixo perfil de efeitos secundários. É um exame sofisticado e de grande acurácia, que apresenta indicações em investigações específicas para a doença arterial coronariana, entre outras.

Tilt table Test (Teste de inclinação ortostática)
É um exame sofisticado, realizado por cardiologista especializado em conjunto com uma equipe paramédica treinada, com o intuito de ajudar no diagnóstico das causas de síncopes ou pré-síncopes (desmaios ou ameaças de desmaios), entre outras indicações. Consiste na simulação de situações potencialmente provocativas. O paciente fica em repouso em uma maca, que varia seu grau de inclinação (- 20º a + 90º), associado ou não a outra condição estimuladora, e que tenta reproduzir as sensações experimentadas pelo paciente. Durante o exame, o paciente fica totalmente monitorizado e sob supervisão médica.

Holter de ECG de 24h (Eletrocardiografia Dinâmica)
A eletrocardiografia dinâmica (Holter de 24h ou 48h) consiste na monitorização e registro de sinais eletrocardiográficos (similares ao tradicional ECG) durante um longo período (em geral 24h), permitindo uma correlação das atividades cotidianas e sintomas com potenciais alterações ao ECG. Pode ser de grande auxílio na detecção de arritmias e de outros distúrbios do ritmo, isquemias ou insuficiências coronarianas, causas de tonturas e desmaios, entre outras indicações. Modernamente, é realizada com um pequeno aparelho portátil, carregado pelo paciente durante o período solicitado, sendo orientado o preenchimento de um diário que registre as atividades e sintomas.

Looper (Monitor de eventos cardíacos)
Também denominado Loop recorder, este monitor portátil tem especial aplicação na detecção de palpitações ou sensações de alterações do batimento cardíaco, associadas ou não a tonturas e mal-estar, mas que se manifestam de forma eventual. O aparelho é ainda menor que o de Holter, mais confortável e não impede as atividades habituais, inclusive banho e exercício. O sistema permite comunicação com a central no Hospital Alemão Oswaldo Cruz (via telefone), com a interpretação de um médico especialista, possibilitando correlação dos sinais eletrocardiográficos com os sintomas clínicos. É um exame moderno e ainda pouco conhecido ou utilizado, entretanto, a prática mostra que grande parte das palpitações eventuais não são diárias, podem não ser detectadas pelo Holter de 24h, e continuam gerando preocupação aos pacientes e médicos. O Looper possibilita a utilização por vários dias, em geral, de 7 a 21 dias consecutivos.

MAPA de 24 h (Monitoramento Ambulatorial da Pressão Arterial)
O MAPA tornou-se um instrumento útil para o diagnóstico e a orientação dos distúrbios de pressão arterial. Em geral, é indicado para avaliação da hipertensão arterial ("pressão alta"), embora possa, eventualmente, ser indicado na avaliação de hipotensão ("pressão baixa"). É importante para o diagnóstico preciso de hipertensão, como também no seguimento periódico do paciente, estando ou não sob tratamento medicamentoso. Muitos são os fatores que podem influenciar a pressão arterial durante o dia – como alimentação, fator emocional ou esforço físico. Portanto, a monitorização durante 24h pode desmascarar os fatores de influência circunstancial e, por meio de medições regulares (a cada 15 minutos na vigília), pode definir uma média e os períodos em que ocorrem as maiores alterações, inclusive o comportamento durante o sono. A hipertensão é uma das doenças cardiovasculares mais frequentes entre os adultos, muitas vezes é assintomática, e seu tratamento adequado pode diminuir o surgimento de diversas doenças, como o infarto do miocárdio e, principalmente, o AVC ("derrame").
Saiba mais

Outros

Outros

  • Dacriocistografia
  • Deglutograma
  • EED
  • Enema Opaco
  • Histerosalpingografia
  • Mamografia
  • Sialografia
  • Trânsito Intestinal
  • Uretrocistografia Miccional e Retrógrada
  • Urografia Excretora

Destaques

CENTRO DE ESPECIALIDADES

Unidades

Campo Belo

Paraíso

Mooca

Certificados de Qualidade

  • Certificado 1